segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Descobri que o amor existe.

Eu que sempre pensei que não houvesse sentimento maior que a amizade, hoje questiono cada convicção que antes trazia como dogma.
O amor, ah, este sim! Não só existe como é tudo aquilo que os gênios da música/literatura/poesia/vida boêmia em geral sempre afirmaram que era e eu duvidei.
Quanta audácia...
Incrível é como pode ser tão contraditório quanto maravilhoso.
Falo do amor puro, aquele livre de ciúmes ou qualquer sentimento ruim.
O amor não é físico, senão um presente que Deus enviou a nós, mortais que, por sermos compostos quase inteiramente de matéria, necessitamos externar tal força divina em forma física ao sermos inundados por tal êxtase.
O amor nos consome em seu êxtase e nós, talvez erroneamente, talvez não, tratamos de passá-lo para matéria.
Mas a verdade é que o amor é sentimento, e não pode ser sentido na sua mais pura forma a menos que cada um descubra seu caminho para encontrá-lo .
É isso. Não basta ouvir falar de histórias de amor. É necessário senti-lo na própria pele.
Certifique-se de senti-se tomado pelo êxtase que tento descrever em palavras, caso contrário, sua vida terá sido incompleta.

6 comentários:

Lôoh Toledo disse...

fico feliz que tenha descobrido que o amor existe!
o amor e muito mais do que dizem e falam, o amor e algo intenso que só quem sente para saber ao certo

gostei do texto D:

­ADRIELY RAMOS disse...

Existe amor em todas as coisas na vida, até no ódio, se não existisse ódio como existiria amor? Então florzinha, desfrute desse sentimento porque ele é maravilhoso! Parabéns por escrever bem =*

Stella disse...

to seguindo, adorei! e postei mais lá, da minha história. bjs

Lily disse...

"Falo do amor puro, aquele livre de ciúmes ou qualquer sentimento ruim."
O difícil é encontrar esse amos. Mas seu texto ficou muito bom! :D

Beijos.

Lôoh Toledo disse...

Obrigado por passar e deixa seu recadinho no meu bog *---*

volte sempre que vc quiser irei ficar muito feliz D:

Babizinha disse...

Esse mundo é movido a contradições. E não movem-se por detrás de máscaras.
Seja ódio ou amor, quando monstram-se, são despudorados.
É senti-los e "seja o que Deus quiser".

Transformamo-nos de um post para outro, hein?! rs ;x

Beijos
;*