quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Depois.

Imagine se certo dia você acordasse e se visse cercado por mentiras.
Onde todas as suas verdades e certezas estivessem ao contrário, onde todos – todos, sem exceção – tivessem inventado uma história louca esperando que você acreditasse.
Pois, foi o que me aconteceu.
Acordei há uns dois dias atrás achando que era um dia como qualquer outro, mas logo o mundo deu sinais de não ser meu mundo.
Achei que era um lugar bom, com pessoas boas, e encontrei rejeição, mentiras, e obstáculos cuja única intenção é dificultar minha vida por mero prazer.
Eles deram nome às coisas, valor às coisas, mediram sentimentos.
Mas isso dói em mim, porque minhas coisas não tem nome ou valor, e meus sentimentos, não tem tamanho.
Fui ouvindo seus nomes, valores e medidas e não tive outra escolha senão aceitar quieta – coisa que nunca foi do meu feitio – as verdades desse mundo.
De onde venho, cada um é livre para dizer o que quiser, pensar o que quiser, e todos acreditam, voluntariamente, na mesma verdade.
Não se impõem verdades aos outros.
Digo-lhes que é desesperador estar cercada por mentiras.
Eu sei que há uma verdade, e acredito nela com todas as minhas forças. Mas é difícil acreditar nas suas verdades quando todo o mundo parece ter uma verdade oposta à sua.
É como se eu tivesse uma vida antes dessa, onde meu nome era, sei lá, Maria. Ou qualquer outro nome que lhes agrade.
Eu não tinha obrigações, nem grandes problemas ou dúvidas. Era absolutamente possível vislumbrar um “feliz para sempre”.
Mas desde que acordei nesse outro mundo, incutiram a mim novo nome, me encheram de obrigações, problemas e dúvidas. E meu final feliz se distancia de mim juntamente com a clareza que antes havia em minha mente.
Quero que alguém me liberte, mais que isso: preciso.
Preciso mostrar a todos esses loucos hipnotizados que eu sei de toda a verdade: esse nome, essa cara, tudo, tudo: é mentira. É irreal.
Fico torcendo para que seja um sonho e que os passarinhos cantem – já que não há despertador no meu mundo – até que eu acorde.
Acho que nesse mundo louco e mentiroso, é tudo o que me resta, afinal: manter por mais um tempo esse sorriso na cara, fingindo que acredito que isso tudo não passa de um grande, cinzento e aterrorizante pesadelo.
Se eu perder a esperança de acordar um dia, então terei perdido tudo.
Mas um dia, vocês vão ver, eu vou voltar para o meu mundo.
E cheia, cheia, cheia de histórias tristes para contar.
Num cenário feliz, enfim.

4 comentários:

Jesus disse...

Eu sempre disse para as pessoas que é tudo mentira, mas elas nunca acreditam, fazer o que né? Não é meu tema favorito, mas gostei do texto^^
Beijos

Lily disse...

Eu acredito que o mundo seja uma mentira. E, acredite ou não, eu também espero o momento de voltar para o meu mundo!
Ótimo texto!

Beijos.

Babizinha disse...

Ainda me pergunto se sou meia verdade ou meia mentira, confuso né?!
Seu texto é como concluir que do "pó viemos, ao pó retornaremos."
Gostei demais como sempre!
Beijo

' Yasmin Ck disse...

Viver de certa forma é uma mentira, e encantadora, por mais que façamos dia após dia e conseguimos ser felizes, o final é sempre o mesmo. Mas se pensarmos por este lado a espera até o fim seria uma tortura maior do que viver a mentira.

http://yas.carly.zip.net/