segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Telepatia

Nunca entendi porque alguns desejam ler o pensamento alheio.
Maldita mania humana de cuidar da vida dos outros!
De que nos valeria tal poder se mal logramos compreender nossos próprios pensamentos?
Além disso, há um segredo. Segredo esse que poucos conhecem. Muitas coisas existem sem necessidade. Saber o que os outros pensam, por exemplo.
Não contem a ninguém, mas saberão de coisas inacreditáveis se retomarem um velho hábito: fitar profundamente os olhos de quem está ao seu lado.
Veja aquela senhora alimentando aquelas pragas daqueles pombos. Seu olhar é doce como o de uma criança. Em momento algum ela pensa em estimular uma praga, ela deseja apenas alimentar os pombos. Está nos olhos dela.
Olhe bem fundo nos olhos daquele homem engravatado que passa com pressa ao seu lado: a pressa em seus olhos é nítida, mas não tem razão de existir.
O tal homem acostumou-se com a pressa. Não sabe porque corre, mas traz consigo a preocupação em ter tempo de fazer tudo. Sendo que nem ele mesmo sabe que “tudo” é esse.
Talvez ele até saiba que tudo não cabe no tempo, mas isso não há como saber. O homem passou rápido demais, não foi possível ver tudo que havia em seus olhos.
Repare agora naquela mulher bem-vestida, de sorriso indestrutível sustentado em seu rosto.
Agora esqueça o sorriso e veja seus olhos. Viu? Os olhos são distantes. Seu sorriso é uma máscara pousada sobre a distância entre seus sonhos e a realidade.
Treine por algum tempo olhando a fundo olhares diversos. E quando for capaz de ler cada pensamento, cada dúvida, cada anseio, só de olhar a fundo um par de olhos por sete ou oito segundos, vai entender por fim a inutilidade da telepatia.
Se desejar saber o que penso, pergunta-me. E enquanto te respondo, olhando fundo nos meus olhos, verás sinceridade.
Não presumas o que penso só por olhar meus olhos.
Preciso que precises saber o que penso.
Preciso que acredite na verdade das minhas palavras. Eu preciso das palavras. E minha respostas precisam de suas perguntas.
Olha-me nos olhos quando alas comigo, mas falas.
Porque assim como os olhos, as palavras existem.
E muitas das coisas que existem, existem por necessidade. E devemos fazer uso delas.

3 comentários:

Lilly disse...

Sabe que esse lance de olhar nos olhos funciona?! Aprendi a fazer isso com a minha irmã. Sempre que ela mentia eu sabia que ela não estava sendo sincera. E agora funciona com qualquer um.
Enfim, seus textos são muito bons! *-*

Beijos.

iti disse...

cada um é de um jeito..
temos pessoas apressadas, malucas, bizarras, temos pessoa calmas, afinal... nem todos somos iguais, e alguns sao quase perfeitos.
rs
http://www.maquinazero.com.br/

Rebeca disse...

O negocio de olhar nos olhos funciona siiim cara amiga!
Palavras de Debora!