sábado, 11 de julho de 2009

É Triste.

Dia desses, num fim de tarde, a televisão exibia o jornal.
De repente, aparece, como pano de fundo de uma reportagem, o portão do meu colégio.
E a reportagem não era sobre os alunos do colégio, tampouco sobre o colégio em si: o portão era só pano de fundo mesmo; cenário, referência. Eu sabia bem o que dizia a reportagem. Sabia que era triste.
Na manhã daquele dia, estava em plena aula de matemática quand ouvi o ruído seco de três tiros. Me entreolhei rapidamente com meus colegas de turma e a aula seguiu normalmente. Soubemos o que de fato acontecera por alunos que chegaram atrasados e viram a cena toda: um cara foi baleado. Em frente ao meu colégio.
É triste isso, sabe. É triste sair sozinha com medo, é triste gente levando tiro assim... como se fosse normal. É triste que não tenha sido feito um escarcéu sobre um assunto como esse, um assunto que me abalou tanto.
É por causa disso, dessa maldita banalidade frente a tiroteios, assaltos, mortes e violência que cada um está cada vez mais longe do outro.
É por isso que abraços sinceros se tornaram escassos.
E é por isso que eu vou me tornar uma jornalista alienada. Ver jornal para que? Para ver meu pai me levar aos maravilhosos caminhos da indigestão ao dizer coisas horríveis sobre o futuro de um país no qual, provavelmente, vou morar por um bom tempo? Não, obrigada.
Ouço, calada, as pessoas dizerem que o país não tem jeito e vejo gente temer andar na rua.
Ora, segurança por segurança e acabaremos todos em bolhas de vidro!
Dispenso o jornal. Sei bem o que se passa, e sei que não é nada bom.
Não sou muito fã de frases feitas, mas há uma que me convém no momento: "devemos ser a mudança que queremos no mundo".
Quer saber? Muita coisa tá errada, e uma guria de 15 anos não detém poder nenhum. Mas minha consciência tá limpa sobre minha honestidade.
E... Embora não goste de finais clichês, a esperança é clichê (e dessa sim eu gosto, e muito) e gente honesta pode, sim, mudar o mundo.

6 comentários:

Rebeca disse...

Fato que eu agora estou com medo de ir pro colegio!
Juro que ontem eu tava numa cafeteria com a prima e comeou outro tiroteio pertissimio da minha casa. Todo mundo começou a berrar a correr e o comercio fechou.
Caraca nisso eu vejo o MEU PAI andando tranquilamente nem suspeitando do que tava acontecendo.
Caraca Lu fiquei tao desesperada que sai correndo atras dele e gritando.
FOI HORRIVEL.
Uma sensaçao de medo se instalou em mim agora de um jeito que nao quer sair mais.

eumesmo disse...

é triste mesmo, mas como um cara falou, para morrer só precisa estar vivo, o problema que as pessoas não estão nem ai para isso

Ana Lu disse...

Passando pela primeira vez
^^
Nossa, é mto triste mesmo isso! Ver q estamos cada vez mais desprotegidos, na mão da violência..
;P
Bjoss

beatriz albarez disse...

cara, que medo. é incrivel como todos dizem que precisamos mudar o futuro dopa´si, mas o problema que ela ssó falam. eumesm, só falo, mas só proque nao tneho como fazer nada. um dia eu tento, e se Deus quiser, vou conseguir fazer a minha parte, para mudar tudo isso. é pedir demias um pouco de segurança ?

▪ dααy imhof ! disse...

Olá, tudo bom ?
Texto perfeito, amei, e o blog é liindo!! Queria te pedir uma coisinha, dá uma passadinha no meu, e ve oq acha, e se quiser deixe um comentário (:! Beeijos

jadeamorim.com disse...

A violência tá tomando conta, e ao invéz do povo sair e mudar, eles se escondem com medo! Complicado isso.... =/
Adorei o blog, estou seguindo!


Beeijos! =*