sábado, 19 de dezembro de 2009

A Dor.

Depois da notícia fui ler sobre a Dor. Pensei que, vendo escrita a dor de celébres figuras, minha própria dor se acalmaria.
Ao menos, teria eu, pobre criatura, algo em comum aos grandes nos quais me inspiro na hora de combinar palavras.
Logo de cara, me encontrei com a visão de Carlos Drummond sobre a Dor.
Sabe, concordo com ele. A dor não é sentida pelo que aconteceu, e sim pelo que gostaríamos que tivesse acontecido.
Pelos planos em vão, pelos sentimentos sem reciprocidade, pelos esforços jogados no lixo, pelos sonhos abandonados, pelos textos sem final.
Estas são coisas que doem.
O resto não é dor. O resto é martirizar-se por detalhes.
O resto é não saber dar valor.
E não se pode, também, sentir a dor alheia.
Como sabiamente escreveu Sheakspeare, "só o dono da dor sabe o quanto dói".
Martha Medeiros acredita que a dor que a mais dói é a saudade.
Talvez eu até concorde com ela, mas desde que ela se refira à saudade do que não aconteceu. Ah, COMO dói essa saudade.
Chaplin deu-me uma maneira de reagir à essa dor, à essa saudade: fingir que já não me dói.
Assim, mentindo para os outros quanto ao que há dentro de mim, e fingindo que o sorriso que há na minha boca chega aos olhos, talvez consiga eu, algum dia, acreditar também nas minhas próprias mentiras.
Talvez eu consiga, de tanto mentir, tornar a falsa felicidade real.
É um dom que todos os que conheço possuem. Eu devo possuir, também. Só não sei aonde está.
E voltando à Drummond, como ele disse naquele primeiro texto que li antes de começar o meu próprio, "A dor é inevitável, o sofrimento é opcional".
Nunca havia compreendido tal frase, agora compreendo.
E desta vez, vou optar por não sofrer.

7 comentários:

James Pimentel disse...

Nossa, seu texto foi bem elaborado, gostei muito, principalmente do modo como você tratou do tema, várias informações dadas que eu não sabia.
:D

Lily disse...

Adorei o post, concordo com muita coisa que você disse aí. Realmente, muito bem elaborado! :D

Beijo.

E.Suruba disse...

a dor que mais doi é saudades, fato

- gabs, disse...

adooooooooooooooooreeeeei Lu!
Só tenho a agradecer, sabe? to passando por momentos maus na minha vida, e a dor está sendo inevitável, mas sofrer é pra quem quer, não é mesmo?
Acho que vou começar a 'mentir' pra mim mesma que isso tudo já passou!

Beeeeeeeijos s2

Chris disse...

cada pessoa tem seu jeito de escrever sobre a dor. Muitas vezes concordamos com elas, outras nem tanto.
Amei o texto.

Momentos thaay disse...

Antes de tudo olá,sou thaynanda e vi teu blog num orkut e entrei como sempre faço,rs'.Quero falar que me indentifiquei muiito com seus textos principalmente quando você fala dos teus sentimentos e tal que não se descobriu ainda no mundo,e é bom saber que não sou a unica no mundo a me sentid assim de verdade amo seus textos e já viciei neles passei maior parte da madrugada lendo e relendo com medo de acabar e não ter pra ler depois e é isso.Tchauzin beijos feliz natal e um bom ano novo e é só espero ansiosamente mas textos.

ϟ ludмılα disse...

lindo texto, algumas citações eu nem sabia D:
mas agora sei, parabéns, lindo blog *-*