sábado, 8 de agosto de 2009

Inspiração

A meu ver, a literatura jovem é ligeiramente feminista. Já reparou na quantidade de mulheres que escrevem para adolescentes?Márcia Kupstas, Thalita Rebouças, Stephenie Meyer, Meg Cabot, J. K. Rowling, Rachel Cohn... É uma lista infindável de nomes.
E eu não as culpo, já que espero um dia ser como elas e ver gente enlouquecida por histórias que eu escrevi.
Mas no meio de tantas mulheres, há um homem. Com o mesmo dom. Um homem que não pode ser comparado a ninguém. Porque seu dom com as palavras é simplesmente fascinante.
Tem um que de magia, entende?
É como se, lendo alguma coisa dele, eu me transportasse imediatamente.
Não para Forks, Hogwarts, ou qualquer outro lugar do gênero.
Vou para um lugar branco. Todo branco. Aonde não há mais nada além de palavras e eu.
E enquanto leio tudo toma forma. Seja a menina que escreve cartas em nome de uma amiga para o menino que gosta, seja um grupo de amigos desvendando mistérios inimagináveis, seja uma garota que é a versão moderna e feminina de Hamlet (e, sinceramente? Bem mais legal que Hamlet), e claro, como não? Todas as princesas da Disney juntas no mesmo livro, tudo para ajudar uma bela princesa: Feiurinha.
Não encontro palavras para descrever o quanto ele é genial para mim.
Alguns dos melhores livros que já li na vida foi ele quem escreveu.
Se há um escritor que me inspira a seguir, com certeza é ele.
Porque escrever é minha paixão, e eu sequer sabia disso antes de ler compulsivamente suas obras.
Ler e reler. E reler. E reler. E ler novamente. E tudo outra vez. E querer me esquecer de tudo o que eu li só para poder ler de novo.
Leio também, claro, Márcia Kupstas, Thalita Rebouças, Stephenie Meyer, Meg Cabot, J. K. Rowling, Rachel Cohn e tantas outras. Compulsivamente. Mas ouso dizer que nenhuma delas é tanto para mim como Pedro Bandeira é.
Ele é a coragem em palavras. Ele escreve para adolescentes num país sem o hábito de ler.
Nenhum de seus livros deve ter-lhe dado uma grande fortuna (mas não é por falta de qualidade, acreditem).
Seu sobrenome é obviamente brasileiro, o que complica mais ainda as coisas.
Não sei por que as pessoas têm essa mania de valorizar mais os escritores de fora do Brasil quando há tanta gente boa aqui dentro (Veja bem: não comparo escritores nacionais com internacionais. Mas afirmo que Meg Cabot é mais valorizada que Márcia Kupstas, por exemplo. Mas não era isso que eu queria falar. Fecha parênteses).
Em meio a tantas mulheres (algumas americanas), um homem (brasileiro) escrevendo. Escrevendo divinamente.
Pedro. Pedro Bandeira. Meu escritor favorito.

6 comentários:

Babizinha disse...

Ei, tem selinho pra vc lá no meu blog!

;*

Lilly disse...

Ah, Pedro Bandeira... Ele é genial. Fui em uma palestra dele aqui na minha cidade, e nossa! O cara fala tão bem que te conquista de primeira. Os livros dele (principalmente dos Karas) são maravilhosos. Adoro-o muitíssimo.
Muito muito muito bom o seu post!

Beijos.

Babizinha disse...

Está explicadinho lá no 'pós-escrito dois' como fazer atalho com links.
Espero ajudar. Malz pela demora, nem estava no pc na hora do seu comentário.
;*

Babizinha disse...

Óia.. Que bom!
Fico feliz tbm por ter ajudado.
Parabéns, moça dos olhos da cor do mar! Adorei a foto nova do perfil. ^^
;**

Rebeca disse...

Eu adoro tambem o Pedro Bandeira :D
Mas a minha escritora favorita é mulher e acho que sempre vai ser ela , a linda Clarice Lispector *-*
Ok que os textos dela e os livros sao tao loucos e/ou depressivos mas enfim, é tudo a minha cara!


PS: É AMANHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Cecília disse...

J. K. Rowling escreve para jovens,
meninos e meninas, aliais os maiores fans são meninos...